quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

A carne, porém, inspirou-lhe algo: sexo. Mastigou-a e pensou em Maria Rita. Era gostosa, muito gostosa.

O   PRATO   FEITO*
                                              por Armindo Torres
Ali estava o prato, fumegante, bem à sua frente: arroz, feijão, bife e jiló.

Lá dentro, o estômago reclamava. Estômago de chapa, tão grande quanto a sua ignorância de analfabeto. As paredes flexionavam-se num movimento espasmódico de mar agitado. Os sucos gástricos marolavam-se  num redemoinho de angústia e fome. Esperavam o alimeno para o envolverem e o abraçarem, triturando-o num rito de paixão sádica. Extrairiam dele toda a essência calorífica, distribuindo-a, depois, a todas as partes do corpo.

Corpo quase perfeito. Se-lo-ia, se o perfeito existisse. Uma pirâmide de músculos em membros avantajados.Maravilhosas contrações faziam-se notar ao menor trejeito. A pele que o cobria era parda e, quando exposta ao sol, banhada de suor, brilhava intensamente. Corpo poderoso, matéria destrutível, que dava ao seu dono pretensões imortais. O conjunto de músculos movimentava-se numa dança frenética, quando o senhor daquela plástica descarregava um caminhão. O corpo era a imortalidade daquela alma curta.

Lançou-se ao prato com avidez. As mandíbulas rebolavam sensualmente, estuprando os alimentos. Nem o arroz, nem o feijão, trouxeram-lhe sensibilidade.

Tampouco, o jiló despertou-lhe poesia. A carne, porém, inspirou-lhe algo: sexo. Isto ele entendia demais.  Mastigou-a e pensou em Maria Rita. Era gostosa, muito gostosa. A carne ou Maria Rita? As duas , concluiu satisfeito. A nega confundia-se com a comida. O arroz parecia-se com a voz dela; macia, excitante. O feijão lembrava-lhe os olhos: negros, temperados de luxúria. O jiló...ah, o jiló!... Às vezes, a nega irritava-se . O jiló era a irritação de Maria Rita: forte, mas passageira;  amarga, mas com sabor especial. Talvez a nega ficasse até mais linda quando se irritava, o chapa não sabia. E a carne? A carne era a amante inteira: suculenta, deliciosa!

O barulho de um caminhão que encostava desconcentrou-o. Era hora do pesado. Olhou para o prato. Ainda havia nele um pedaço de Maria Rita. Comeu-o com satisfação sexual. Depois, levantou-se e foi balançando os músculos poderosos até que a bala do marido enganado acabasse com aquela imortalidade mortal.

(do livro de contos ATRÁS DO COPO DE CERVEJA, de Armindo Torres, p 9/10 , Esdeva Empresa Gráfica Ltda, Juiz de Fora, MG, 1978 )

domingo, 25 de outubro de 2015

PORQUE AINDA HÁ VONTADES



...falar sem pensar
Sem esperar a vez

Não quero esperar
Pra quando passar
Pra quando você chegar
Pra quando o juízo acabar
 
Não quero esperar
Saber se vou poder

Não quero esperar nunca mais
Esta vontade de você querer
Antes que pense
Antes que ache
 venha , não repasse
Não passe
Que esse passe de mágica pode acabar de vez...

Venha, não diga
Não quero você apenas amiga
Não me julgue
Nem me evite, não cale,
Só me chame
Me chame, me grite
E incendeia

Venha ,se não está presa,
Me tire desta cadeia
Seja meu hino, ainda sou seu menino,
Guerreira, me esconda
Me mostre
remarque
 de novo
Esqueça este povo
É como se fosse minha primeira vez

Venha
Já cansei de esperar
O seu medo passar
Você voar
Venha
Me cative
Nunca estive
Assim tão  mais louco, foi tão pouco
O Pleno de você que eu tive
Me encha
Preencha
Vazios antigos
E os novos vazios
Que você ao partir
Me fez outros vazios sentir

Venha, me ponha
Não ponha tabus
Milagres é o que quero

Venha
Não aguento
Não sei se aguento
Mais pelo que espero
Em tudo isso que quero
 não adianta

É só em você que penso
É só em você
Que todo eu tenho o mesmo querer
Me esquenta
Venha
Me arrebenta
Estraçalha de vez todo o meu ser
Que em frangalhos já está
Assim tão carente de você....
Mas se não puder
Se não quiser
Tudo bem, que Seja assim

Mas eu continuarei com as saudades
Imaginando do jeito que eu tanto quis
Assim mesmo distante
eu de amante
você apenas será aprendiz
E um dia aprenderá a lição
Que para ser  feliz
É preciso de tesão
E de alguém que todo o seu segredo

Em seu ouvido diz.

Sérgio de Antonio

sábado, 25 de julho de 2015

Sexo Anal é seguro em todo sentido? Será que vale a pena correr o risco de morrer antes da hora?

Primeiro vamos brincar, Na hora do coito anal, como podemos ver nos filmes pornôs , o parceiro passivo costuma dizer na hora "melhor" pra eles : Aiiii, assim você me mata!
Até quando essa sensação fantasiosa tem tudo a ver com a realidade de se correr o risco de adiantar a hora da morte? Será que coito anal realmente é seguro?
Que tal dar uma olhadinha e tirar suas conclusões?

Em SEXO PERIGOSO

quinta-feira, 8 de janeiro de 2015

Hummmmm... não sobe mais...... que tal saber a causa? quem sabe levanta....

Médico destaca as possíveis causas
da disfunção erétil
Urologista ressalta a interferência da doença na qualidade de vida dos casais